fbpx

Unisulma recebe atividade da campanha mundial 16 Dias de Ativismo

Rock in Uni é tema de confraternização
19 de dezembro de 2016
Estagiários de Direito participam de visita técnica ao fórum
17 de fevereiro de 2017

Ação alerta pelo fim da violência contra mulher

Organizada pelos acadêmicos do 6º período de Serviço Social da Unisulma o auditório da faculdade recebeu, no dia 1º de dezembro, uma palestra da “Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”. Atividade iniciou programação alusiva em Imperatriz, que objetiva alertar a sociedade sobre o combate de diferentes formas de violência que atinge diariamente as mulheres.

A mobilização anual foi realizada a primeira vez em 1991 e já conquistou a adesão de cerca de 160 países, entre eles o Brasil que promove a iniciativa desde 2003. A campanha conta com o apoio de diversos representantes da sociedade civil e poder público engajados no enfrentamento.

O momento de conscientização na faculdade contou com exposição do administrador do Núcleo da Defensoria Pública do Maranhão (DPE/MA), Marcus Cruz; a defensora pública, Clara Welma; a assistente social, Liana Oliveira e o professor da instituição, Ezequias Mesquista.

De acordo com a assistente social algumas datas importantes marcam esse período. O “Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher”, comemorado em 25 de novembro, inicio mundial da campanha. O “Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, 6 de dezembro. E o “Dia Internacional dos Direitos Humanos”, 10 de dezembro, que encerra a programação. “No Brasil para destacar a dupla discriminação vivida pelas mulheres negras, as atividades começam em 20 de novembro, Dia da Consciência Negra”, explicou.

As atividades da campanha na cidade são desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), o Centro de Referência e Atendimento à Mulher (CRAM), Casa Abrigo e o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMDM). A programação finalizou no dia 10 de dezembro com visita às apenadas na Unidade Prisional de Ressocialização de Davinópolis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acessibilidade
//]]>