fbpx

Acadêmicas de Estética e Cosmética da Unisulma criam produto à base do óleo de coco

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Maíra Barros e Adriana de Araújo, acadêmicas de Estética e Cosmética da Unisulma, apresentaram na Tv Mirante no dia 5 de agosto, a reportagem acerca do trabalho de conclusão do curso. O projeto foi orientado pela farmacêutica, Márcia Guelma e tem como tema “O uso do óleo de coco babaçu como emoliente em formulação fitocosmética com ação hidratante”.

Idealizado inicialmente pela aluna Maíra Barros, ela conta que para a formulação de um produto tinha como intuito a utilização de uma matéria prima regional. “Quando entrei no curso de Estética, eu pensei em desenvolver algo. Quando tive a disciplina de Cosmética I, fui vendo as incorporações, as formulações de hidratantes, sabonetes e várias outras coisas. Então, desenvolvemos o fitocosmético com a base, a matéria prima do óleo do coco babaçu”, conclui.

A escolha pelo fruto se deu a partir do fácil acesso, ao se tratar de um produto regional. Além disso, a espécie é rica em ácidos graxos, viabilizadores de novos vasos sanguíneos,ajuda no equilíbrio do manto hidro lipídico, é cicatrizante e altamente bactericida, é um produto fito cosmético e emoliente, ou seja, tem a propriedade de amolecer, distender e abrandar a região aplicada. Ser uma espécie de grande riqueza local o torna barato, o que aquece o mercado da região por meio das quebradeiras de coco, como são conhecidas as mulheres responsáveis pela coleta do fruto.

Para a farmacêutica e orientadora do projeto, Márcia Guelma, a satisfação vai além da conquista, “é interessante quando a disciplina alcança o aluno de uma forma a envolvê-lo a criar uma ideia e querer desenvolver como gancho à disciplina. De alguma forma eu atendi o objetivo de mostrar que existe um universo experimental na área da manipulação e que envolve a estética”, afirma.

O produto foi aprovado após apresentar eficácia nos testes preliminares. O projeto foi submetido ao prêmio jovem cientista como produto de sustentabilidade. O próximo passo é o processo de patente.