fbpx

Acadêmicos e docentes do curso de Serviço Social realizam pesquisa de campo em Açailândia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Os acadêmicos do 4º período do curso de Serviço Social da Unisulma, realizaram uma pesquisa de campo no município de Açailândia com o objetivo de compreender as relações dos processos de trabalho e as intervenções sociais realizadas no âmbito do Serviço Social. A programação contou com uma roda de conversa, palestra e visita ao assentamento Califórnia. Participaram da atividade, realizada no dia 25 de maio, 26 acadêmicos do curso e 2 docentes.

As atividades desenvolvidas estiveram associadas ao caráter prático das disciplinas “Trabalho e Sociabilidade”, ministrada pelo professor, Jailson Sousa. E ainda, as disciplinas de “Fundamentos de Serviço Social II” e “Pesquisa em Serviço Social I”, ministradas pelas professoras, Viviane Carvalho e Gersonilda Marques.

A visita iniciou com uma roda de conversa, realizada nas dependências do Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFMA), em torno da temática “Relações de trabalho na sociedade contemporânea: O trabalho escravo enquanto expressão da Questão Social”. A ação foi conduzida pelas representantes do Centro de Defesa, da Vida e dos Direitos Humanos Carmem Bascarán (CDVDHCB), Mariana de La Fuente e Ivanete Sousa. Uma palestra foi ministrada pela assistente social, Thaís Fernandes que abordou acerca dos processos de trabalho e a inserção do assistente social no contexto educacional.

Ocorreram ainda rodas de conversas no assentamento Califórnia, mediadas por José Luís Costa, membro do Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e coordena ações de mobilização social e formação de jovens no assentamento. As atividades tiveram como objetivo compreender as relações de trabalho na sociedade contemporânea no meio rural. O encerramento atividade de campo se deu com a visitação aos espaços de produção de mel no assentamento Califórnia.

Para a estudante do curso, Carmem Lúcia Oliveira, o trabalho de campo é de grande relevância para ampliar o conhecimento, “nós podemos expandir ainda mais o nosso conhecimento em relação ao trabalho escravo, conteúdo abordado, e ao Serviço Social na educação”, afirma.